14º Tabelionato de Notas

NOTÍCIAS

17º ENPJ: painel discute soluções para tornar o Judiciário mais eficiente e célere
05 DE DEZEMBRO DE 2023


No primeiro painel de debates do 17º Encontro Nacional do Poder Judiciário, em Salvador, conselheiros e juízes auxiliares apresentaram suas considerações sobre o papel da tecnologia na Justiça brasileira, os esforços para a busca por soluções para as execuções fiscais e os programas de conciliação. As discussões do tema do Painel 1, Caminhos da Eficiência do Poder Judiciário, foram mediadas pela juíza auxiliar a Presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Lívia Peres.

IA no Judiciário

O avanço dos estudos no CNJ sobre Inteligência Artificial e a perspectiva de ferramentas com essa tecnologia nos próximos dois anos para o auxílio do trabalho dos magistrados foram ponderados pelo presidente da Comissão Permanente de Tecnologia da Informação e Inovação do CNJ, conselheiro Bandeira de Mello, no tema Desafios da Inteligência Artificial no Poder Judiciário. “O que buscamos é uma ferramenta que nos dê mais capacidade de análise e eficiência para superar questões como a dificuldade de sumarização dos processos”, afirmou. Ele citou a criação, na segunda-feira (4/12), de um grupo de trabalho específico para estudar o uso da Inteligência Artificial pelo Poder Judiciário.

Bandeira afirmou que os protótipos disponíveis, mesmo que sejam eficientes, não são suficientes para suprir as necessidades do Judiciário. “Temos o desafio de lidar com o arcabouço de jurisprudência e provas do processo. Buscamos a facilitação da vida do magistrado. Devemos estabelecer as regras da IA, para que ela seja mais um painel de opções ao invés de uma decisão única que possa levar o juiz a assinar o processo sem ler. A IA é um caminho polêmico, mas viável”, disse.

Justiça 4.0

Ainda dentro do tema, o juiz auxiliar da Presidência do CNJ Alexandre Libonati falou sobre Tecnologia e inovação no Programa Justiça 4.0, com avanços significativos no desenvolvimento de soluções tecnológicas e na construção de uma política de compartilhamento de dados, entre outros pontos. “A plataforma veio acabar com a corrida maluca do processo eletrônico, pelo melhor sistema processual, em uma busca que não trouxe vencedores, perdiam usuários e tribunais. Chegamos a ter no Judiciário mais de 40 sistemas de tramitação. Para técnicos e advogados, isso gerava confusão”, lembrou.

No que se refere à Plataforma Digital do Poder Judiciário (PDPJ), Libonati ressaltou que 96% dos tribunais concluíram sua adesão, com a utilização dos serviços estruturantes. Para aumentar os índices de usabilidade, que hoje está entre 43% e 45%, é fundamental para que o usuário lá na ponta, o advogado, o servidor e o magistrado tenham noção das potencialidades do PDPJ”, explicou.

Execuções Fiscais

Para a juíza auxiliar da Presidência do CNJ Keity Saboya, que abordou a Eficiência nas execuções fiscais no Poder Judiciário, há uma busca constante por parte dos órgãos de Justiça para solucionar a alta quantidade de processos que resultam em cobranças. “Este é um problema que afeta não apenas o Judiciário, mas também a relação entre o Poder Público e os cidadãos. Inclusive trazendo impactos para a autoridade do Estado, a liberdade individual, a arrecadação tributária e o ambiente de negócios do país”, explicou.

Dados apresentados pela magistrada, do Relatório Justiça em Números 2023, evidenciam que o congestionamento dos tribunais e a longa duração das execuções fiscais minam a eficácia da Justiça, além de comprometem a confiança de cidadãos e empresas. “As execuções fiscais abrangem 27,3 milhões (33,5%) do total de processos em tramitação, com a maior taxa de congestionamento do Poder Judiciário (88,4%)”, completou.

Conciliação

Conselheiro do CNJ Marcos Vinícius Jardim Rodrigues, que também preside a Comissão Permanente de Solução Adequada de Conflitos do CNJ, propôs uma discussão sobre o Papel dos Métodos Alternativos de Soluções de Conflitos na Eficiência do Judiciário e descreveu todo o processo do CNJ na busca pelo caminho da conciliação.

Ele remontou ao Movimento pela Conciliação, de 2006, que tinha o objetivo de divulgar e incentivar a solução de conflitos por meio do diálogo e também assegurar mais celeridade e efetividade à Justiça. “Nessa primeira experiência foi possível observar que a conciliação contribui com o sistema judiciário como um todo, por diminuir a demanda por sentenças e potencializar a atuação do Judiciário nos casos que mais dependem da sua apreciação”, explicou.

De acordo com o conselheiro, atualmente, há, ao menos, uma audiência conciliatória para cada processo, com exceção dos procedimentos criminais. Ainda assim, ele frisa, o número de sentenças homologatórias de acordos ainda é baixo. “Nesse contexto, identifico duas causas, que podem colaborar para a baixa adesão aos métodos não litigiosos: quantidade insuficiente de conciliadores e a baixa qualificação dos profissionais no tema específico”, ressaltou.

Leia mais:
Tribunais superiores apresentam projetos e resultados alcançados em 2023
Prêmio CNJ de Qualidade 2023: Justiça Eleitoral de MS alcança Excelência
17.º ENPJ: Presidente do CNJ aponta eficiência e valorização da magistratura como prioridade
Presidente do CNJ conclama Judiciário a utilizar linguagem simples

Encontro Nacional

O 17.º Encontro Nacional do Poder Judiciário (ENPJ) é promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Salvador, e tem a parceria com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), o governo do estado da Bahia e a prefeitura de Salvador.

A programação inclui debates sobre temas atuais da Justiça brasileira e culmina na aprovação das Metas Nacionais do Poder Judiciário para o próximo ano. Elas representam o compromisso dos tribunais brasileiros com o aperfeiçoamento da prestação jurisdicional, de maneira a proporcionar à sociedade um serviço mais célere, eficiente e de qualidade.

Reveja o painel no canal do CNJ no YouTube

Veja fotos do evento no Flickr do CNJ
04 e 05/12/2023 - 17.º Encontro Nacional do Poder Judiciário

Texto: Ana Moura
Edição: Sarah Barros
Agência CNJ de Notícias

Macrodesafio - Aperfeiçoamento da gestão administrativa e da governança judiciária

The post 17º ENPJ: painel discute soluções para tornar o Judiciário mais eficiente e célere appeared first on Portal CNJ.

Outras Notícias

Anoreg RS

Artigo – Certidão de nascimento para “pet´s” – Animais de estimação é possivel?
12 de abril de 2024

Pets ganham status de membros familiares, refletindo-se em mercado bilionário. Proposta de dar sobrenome e...


Anoreg RS

Aprovada Frente Parlamentar do Serviço Notarial e Registral
11 de abril de 2024

Aprovada Frente Parlamentar do Serviço Notarial e Registral


Anoreg RS

Governo desiste de urgência em projeto de lei das falências no Senado
11 de abril de 2024

Governo desiste de urgência em projeto de lei das falências no Senado


Anoreg RS

Você conhece o Fórum de Desenvolvimento Imobiliário?
11 de abril de 2024

Você conhece o Fórum de Desenvolvimento Imobiliário?


Anoreg RS

Sessão solene celebra os 35 anos de atuação do STJ na concretização de direitos
11 de abril de 2024

Sessão solene celebra os 35 anos de atuação do STJ na concretização de direitos


Anoreg RS

Devedor tem de ser informado de data de leilão extrajudicial, reafirma STJ
11 de abril de 2024

Devedor tem de ser informado de data de leilão extrajudicial, reafirma STJ


Anoreg RS

Artigo – O compartilhamento espontâneo e provocado dos relatórios de inteligência financeira
10 de abril de 2024

Artigo - O compartilhamento espontâneo e provocado dos relatórios de inteligência financeira


Anoreg RS

STJ publica Informativo de Jurisprudência Edição especial de 35 anos
09 de abril de 2024

STJ publica Informativo de Jurisprudência Edição especial de 35 anos


Anoreg RS

CNJ Jurisprudência trata da nomeação de interino em caso de vacância do cartório
09 de abril de 2024

CNJ Jurisprudência trata da nomeação de interino em caso de vacância do cartório


Anoreg RS

Portaria nº 15/2024 d o CNJ altera Portaria que nomeia integrantes da Câmara de Regulação da função de Agente Regulador dos Operadores Nacionais
09 de abril de 2024

Portaria nº 15/2024 d o CNJ altera Portaria que nomeia integrantes da Câmara de Regulação da função de Agente...